14
jun
Do pesado ao meloso, Paramore vem ao Brasil e cita influência de No Doubt

g1 entrevista paramore

Ao G1, Hayley Williams garante que ficará na banda ‘para o resto da vida’. Cantora do grupo de rock diz que é perda de tempo ficar falando de cabelo.

Dos 24 anos de Hayley Nichole Williams, ao menos 10 deles foram vividos com o Paramore. A vocalista da banda sabe a importância dessa marca, mesmo após reformulações no grupo. A saída dos irmãos Josh e Zac Farro. Hoje, a banda que vem ao Brasil para shows tem o baixista Jeremy Davis e o guitarrista Taylor York.

Em entrevista ao G1, Hayley diz que ficará no Paramore “para o resto da vida” e conta que o No Doubt é a maior inspiração para o grupo. Ela diz que as canções do Paramore, antes mais associadas ao punk pop, hoje têm vários lados. “Todas as músicas que já escrevemos vêm de um lugar honesto”, assegura Hayley. “Podem ser rápidas, lentas, pesadas, melosas… Sabemos que existem muitos lados diferentes para nós e o único modo de a gente se satisfazer como artistas é deixar que a banda vá por todos eles.”

O Paramore se apresenta em julho no Rio (25), em Belo Horizonte (26), Brasília (28) e São Paulo (30); e em agosto em Curitiba (2) e Porto Alegre (4). Os preços dos ingressos vão de R$ 100 a R$ 500, dependendo da cidade. A banda já veio ao Brasil em 2008 e 2011.

Qual banda com carreira longa soube como se manter após décadas? Quem é exemplo para o Paramore?
Hayley Williams – Qualquer banda que aguentou a pressão completamente. Qualquer uma dessas. Elas são todas as inspirações. O exemplo óbvio é o No Doubt, mas eu acho que existem muitas bandas que passaram por dificuldades e superaram tudo com o tempo. Somos gratos por abrirem o caminho…

G1 – Algumas vezes, perguntam sobre seu cabelo e não sobre música. Esse tipo de pergunta te chateia?
Hayley Williams – Não fico chateada com perguntas sobre o meu cabelo. É sério. Mas não gosto se o combinado é falar sobre nossa música e o tempo todo acabamos falando sobre meu cabelo ou minhas roupas… Eu sinto que estou perdendo o meu tempo.

G1 – Como você sente a evolução do Paramore como banda, quando comparamos as primeiras músicas gravadas e as com outra pegada, como “The only exception”, “Last hope” e “Hate to see your heart break”?
Hayley Williams – Todas as músicas que já escrevemos vêm de um lugar honesto. Podem ser rápidas, lentas, pesadas, melosas… Sabemos que existem muitos lados diferentes para nós e o único modo de a gente se satisfazer como artistas é deixar que a banda vá por todos eles.

E qual música representa uma virada na carreira da banda?
Hayley Williams – Do CD “Riot!”, “Misery Business” foi responsável por isso. Por uma questão pessoal, escrever o disco novo inteiro foi meio que uma virada. Quando escrevemos a música “Ain’t it fun”, nos sentimos empolgados. Foi como se a gente tivesse chegado a um outro lado nosso que a gente não conhecia mesmo…

paramore-brasil-2011

G1 – Você disse uma vez que você vai lançar um disco solo apenas se receber um bilhete com a seguinte frase: ‘Faça um disco solo, ou seus amigos morrem’. Reconsiderou ou ainda pensa assim?
Hayley Williams – Quero estar no Paramore para o resto da minha vida. O que quer que isso signifique. Enquanto nós três estivermos nos divertindo, eu serei mais feliz estando aqui. Eu não poderia continuar com tudo isso sozinha.

O que você lembra do Brasil?
Hayley Williams – Na última vez, visitamos o Rio. Tivemos uns dias de folga em uma praia particular. Aquilo foi uma das coisas mais glamourosas na nossa carreira (risos). Os shows são sempre insanos. São as plateias que gritam mais alto, até agora.

G1 – Ouvi dizer que você tocava uma pequena bateria quando criança e comprou uma maior depois. Por que não toca em shows?
Hayley Williams – Eu não sou tão boa na bateria. Eu realmente gosto de tocar mas não quero passar vergonha na frente dos outros.

G1 – Quais cuidados tem com sua voz e como ela mudou em 10 anos de banda?

Hayley Williams – Nos últimos dois anos, eu comecei a ter um cuidado maior com a minha voz. Eu ainda tenho noites em que não faço exercícios de canto, mas eu me sinto mais saudável. Por isso, eu sinto que estou fazendo alguma coisa certa!