09
maio
Entrevista da Hayley Williams para Topshop

HW

Ontem, dia 08/05, a Hayley cedeu uma entrevista à Topshop e falou sobre o estilo de cada membro da banda , sobre as cores do cabelo, sobre a coleção de maquiagem para a MAC, entre várias outras coisas. Confira a tradução da entrevista abaixo:

Quando tinhamos 15, estavamos tendo festas do pijama, estudando para provas, e comendo muitas besteiras. Hayley Williams,por outro lado, estava formando uma banda e escrevendo músicas que nos fariam jogar as mãos para o alto, alguns anos depois. Isso não faz de você um pouco invejoso?

Olhos verdes de lado, a banda Paramore tem de alguma forma sido um fenômeno, falando para adolescentes, amantes de pop e pseudo-punks através do mundo desde que eles explodiram com All We Know is Falling em 2004. Eles foram a resposta para muitos anseios jovens, algo mais que o chiclete, pop manufaturado do começo dos anos 2000. Para nós, na cantora Hayley Williams, encontramos um ícone estilo alternativo que não sabíamos que precisávamos.

De seu cabelo laranja-metálico à suas camisetas justas e Dr Martens, nós, garotas Topshop, temos um amor pelo mal-feito punk-inspirado visual de Hayley. (Mencionamos que ela está vestindo a amada camiseta Dweeb da Topshop no seu vídeo para Still Into You?) As madeixas dessa garota influencia milhões de transas fluorescentes e até inspirou uma maquiagem da MAC.

Estilo de lado, Hayley e os garotos tem conquistador sua própria marca de emo-pop perfeitamente. Depois de 3 albuns, uma grande mobilização em massa e tudo isso ainda no começo de seus 20 anos, Paramore voltou com um disco que Hayley descreve como “a necessidade de encontrar o próximo de qualquer coisa.” Sem dúvidas a pressão está ai para seu primeiro impacto como um trio. O mais surpreendente é o quão brilhante é o novo album deles; cheio de energia, melodias dinâmicas, menos daquela angústia adolescente, e um pouco mais doce do que o [album] que veio antes. Sem medo, não chega nem perto do “tão doce que chega a irritar” por ai. Alguns de nossos momentos favoritos tem sido a oportunidade de ouvir Hayley mudar seus vocais, entre uma emocional “Hate To See Your Heart Break” e uma meio disco “Ain’t It Fun”, que são as canções para ver Hayley arrasar no microfone.

Falamos com a mulher mais ocupada do mundo da música – enquanto ela faz turnê pela terra do Tio Sam – sobre sentar e escrever um álbum novo, passando por o que ela escuta e também sobre ela ser uma garota jeans e camiseta.

Como a nova linha de maquiagem da banda alterou a experiência de confecção do álbum?

— Tudo funciona diferente com nós agora. O processo de composição foi o mais louco. Taylor começou no papel de escritos e me perguntei por que demoramos tanto para começar a escrever juntos. Ele é um cientista louco quando se trata de compor música e experimentar sons. Foi tudo novo, e isso fez os processos de composição e gravação os mais divertidos que já tivemos.

Teve um elemento de purificação na criação do disco ou uma inspiração central por detrás do album como um todo?

— Acho que a ideia central por detrás de tudo é levantar de manhã e colocar um pé na frente do outro. Crescer. Se levantar de seu próprio passado e das expectativas limitadas que as pessoas têm de você.

Morar em LA influenciou em sua música?
— Claro, totalmente. Primeiro, é constantemente sol lá, ao ponto de se tornar chato. A energia fluiu com a maioria das músicas que estávamos escrevendo. No final foi ótimo de afastar de lugares familiares e confortantes.

Somos grandes fãs de seu estilo aqui, você trabalha com algum tipo de personal-stylish?

— Se estamos fazendo um video ou uma grande apresentação, nossa amiga Elizabeth Barrois nos ajuda. Bom, exceto com Taylor, Ele adotou o uniforme do Johnny Cash, tudo preto. Apesar de que na maioria das vezes eu me visto sozinha, gosto disso. Sei que não sou tão boa… Nem sei nada sobre moda mas acho que por esse motivo posso aproveitar.

Quais seus estilistas ou marcas favoritas?

J Brand, Rag and Bone, Tripp, Topshop, Jeremy Scott. Nada tão caro, luxuoso. Bom, também Miu Miu. Mas sou uma garota que ama usar jeans e camiseta.

Você tem algum ícone de estilo ou algumas mulheres no mundo da música que você aprecia esteticamente?

— Siouxsie Sioux, Cyndi Lauper, Gwen dos anos 1990 e Missy Elliot nos anos 1990, —lembra daquela bolsa?—, ah, e Scary Spice.

Que músicas/bandas você anda escutando?

— Um pouco de tudo, Purity Ring, Siouxsie and the Banshees, Iceage, a banda do meu namorado, What’s Eating Gilbert, e o novo album da Tegan e Sara.

Quais seus desejos quando está em turnê?

— Gosto quando o ônibus parece minha casa. Velas, óleos de aroma terapia, chás de erva… E claro, meu computador e toda aquela porcaria tecnológica, que é o porquê do mundo precisar de velas e aroma terapia.

Você tem algum show que está ansiosa pra tocar?

— Estaremos tocando no meu lugar favorito em Nova Iorque no próximo mês. O Hammerstein Ballroom. É muito lindo. O contraste do lugar, música, nossos fãs e sour é perfeito pra mim.

Se você pudesse colaborar com qualquer artista, quem seria?

— Nunca consigo decider quem seria o mais interessante e divertido. Também não sou boa com co-compositors, me fazem ficar nervosa. Escrever música e tudo mais é muito pessoal. Como as pessoas fazem isso sentadas numa sala com estranhos? Talvez algum dia eu descubra…

Traduzido por Sued Lima – Equipe Paramore.ME