01
set
Hayley fala sobre a quase separação da banda, o álbum auto-intitulado e o PARAHOY! ao Yahoo! Music

Hayley Williams

Hayley Williams deu uma entrevista ao Yahoo! Music na qual ela fala sobre como foi difícil quando os irmãos Farro deixaram a banda, como o Paramore quase acabou, pelo que eles passaram para conseguir compôr o álbum auto-intitulado e sobre como está animada e nervosa para o Parahoy! Leia:

Por quase 10 nos, os membro de Franklin, Tennessee, da banda Paramore tem tomado passos firmes em relação ao estrelato comercial. Seu segundo álbum, o pop-punk de 2007, Riot!, ganhou o disco platina; e seu terceiro álbum, o mais emo-pop de 2009,Brand New Eyes, estreou como número 2 nos Estados Unidos, e vendendo 175,000 cópias na primeira semana, e ganhando o disco de ouro.

Mas nada poderia ter preparado a banda para a reação recebida com seu quarto álbum, o eclético, pop e inspirado na new-wave, Paramore. O disco foi lançado no dia 5 de Abril, estreou em primeiro lugar no ranking da Billboard 200 e as coisas só melhoraram. O segundo single do álbum, a enérgica, contagiante “Still Into You”, se recusou a perder o controle da massa; o vídeo da música acumulou quase 25 milhões de views. Paramore fez uma performance da música no Teen Choice Awards no dia 11 de Agosto, e ganhou o prêmio de Melhor Banda de Rock, na disputa com Lumineers, Mumford & Sons e outros.

“Nenhum de nós pode prever Still Into You durando tanto e tomando essa nova vida,” a vocalista Hayley Williams, disse ao Yahoo! Music. “Ela estava no rádio, e depois nós tocamos no Teen Choice Awards, e agora nós estamos recebendo tanto amor por essa música que temos que continuar com ela, o que é muito bom.”

Aparentemente, não tem nenhum fim em vista para o reinado pop do Paramore. Em meados de Outubro, a banda vai estrear sua primeira turnê norte-americana em arenas, com aberturas do Metric e Hellogoodbye. As datas incluem o Madison Square Garden, que como para muitos outros músicos, sempre foi o sonho da Hayley.

“A ideia de fazermos um show no Madison Square Garden soa totalmente surreal”, ela disse. “Mas ao mesmo tempo eu sinto que, está na hora, sabe? Nós estamos fazendo turnês por oito anos, somos uma banda a quase uma década. E se nós fizermos isso, tem que ser agora. Eu tenho toda a esperança de que nossos fãs vão lotar aquele lugar. Eu simplesmente sei. Nós temos fãs loucos no Noroeste, especialmente em Nova York.”

O domínio comercial do Paramore é especialmente impressionante levando em conta o tapa na cara de dois anos atrás, quando o fundador, guitarrista e compositor, Josh Farro e seu irmão, o baterista Zac Farro, deixaram a banda. A separação irrompeu em um tempestade de controvérsias, quando Josh postou online que o Paramore era “o produto fabricado de uma grande gravadora”. Ele também afirmou que a Williams era o único membro contratado pela Atlantic Records, e que todos os outros músicos estavam“indo na aba dos sonhos dela.”

A traição picou a Williams fundo, já que ela sempre considerou o Paramore uma banda unida, e de primeira ela pensou em acabar com o grupo.

“Nos primeiros dias, quando o drama ainda era novo e quente para a imprensa,” ela explicou. “Você podia sentir o cheiro disso e era repugnante. Eu odiava isso. Eu realmente, realmente não gostava de estar no meio de uma coisa que eu nunca achei que fosse acontecer com o Paramore. Já era ruim o suficiente ter perdido membros da banda, mas ver isso repercutindo como uma novela dramática para todo mundo ler era grosseiro e muito trivial. E fez parecer que nós éramos uma parte daquilo, e não éramos! Nós não queríamos nenhuma parte naquilo. Aquilo chocou o resto da banda também. Tomou de Taylor, Jeremy e eu um tempo para nos reagruparmos.”

Como membro fundador, Josh Farro tinha tido um grande papel no composição das músicas. Enquanto o Paramore tinha sobrevivido a outras mudanças em sua formação, a combinação de animosidade e insegurança na hora de começar um novo álbum sem um membro tão importante da banda, levou no começa à ideia de separação.

“Nós passamos por algo que mudou nossas vidas,” Williams disse. “Nós perdemos amigos. Foi um momento difícil para nós. Finalmente, nós decidimos que íamos ou recuar e ir embora, ou voltar mais fortes. E quando nós três finalmente pensamos em tudo e decidimos que estávamos aqui para ficar, nós trabalhamos mais do que nunca tínhamos trabalhado antes para mostrar às pessoas que não íamos a lugar nenhum.”

Determinada em continuar a banda, Williams sem sombra de dúvida, precisava de um novo começo e uma nova direção. O Tennessee guardava muitos fantasmas do passado, então ela e seus parceiros de banda arrancaram as raízes e se mudaram para Los Angeles. Foi lá que eles começaram o processo de composição do Paramore.

No começo não era fácil. As músicas não estavam dando certo, Williams estava com saudades de casa, e ela teve que lutar com cada fibra do seu ser para não entrar em um avião e voltar para Nashville.

“É disso que a música “Ain’t It Fun é sobre,” ela disse. “Eu tenho quase 25, mas nunca tive essa experiência de acabar o ensino médio, sair de casa e viver por mim mesma. Eu tenho morado em uma van ou um ônibus com outros caras desde que eu tinha 16. Então mudar para LA e morar sozinha era assustador, mas isso realmente me ensinou muito. Eu cresci bastante, aprendi a tomar conta de mim mesma e me tornei auto-suficiente.”

Geralmente o período de revelação pessoal vêm logo após total histeria. “Nas primeiras semanas eu estava chutando e gritando por dentro,” ela admitiu. “Eu estava pensando ‘O que você está fazendo? Volte para casa você está confortável e as coisas são familiares. Todos os seus restaurantes favoritos estão lá. E seus amigos e familiares estão lá.’ Mas eu resisti ao impulso. E uma vez que eu e os meninos fizemos uns cinco demos que gostamos, nós percebemos, ‘Okay, nós podemos fazer isso.’ E nós ficamos em LA até terminarmos o disco.”

Quanto mais o Paramore mergulhava no processo de composição, mais eles percebiam que a mudança na formação foi uma bênção disfarçada. Libertos da abordagem de composição a qual eles estavam acostumados, eles puderam se afastar mais do que nunca das convenções pop-punk e emo. E conforme eles se sentiam mais confortáveis, eles experimentaram mais com os estilos new-wave, gospel e pop mainstream.

“Foi um processo de colocar um pé na frente do outro todos os dias e tentar coisas novas,” disse Williams. “Quanto mais nós tentávamos, mais divertido ficava. Nós nunca tivemos as ferramentas ou havíamos sentido a liberdade para mostrar todas as nossas influências no passado, e esse álbum foi muito libertador, porque pudemos revelar todas as nossas influências e mostrar todos os diferentes lados dessa banda. Taylor foi uma parte muito importante disso. Eu não sei por que ele não compôs para o Paramore antes. Ele tem ideias e escuta sons e melodias em sua cabeça que me surpreendem e inspiram. E então nosso produtor Justin Meldal-Johnson (M83, Neon Trees, Tegan and Sara) nos ajudou a capturar nossas ideias nas músicas.”

Quando eles terminaram no estúdio, o Paramore tinha composto seu maior (17 músicas em menos de 64 minutos) e melhor musicalmente acabado álbum.

“Eu realmente sinto que esse é o trabalho mais maduro que nós já lançamos, e isso me deixa muito orgulhosa,” disse Williams. “Mas eu também me orgulho que nãos tivemos medo de fazer algumas músicas pop. Nós amamos uma boa música pop. Nós escrevemos músicas mais pesadas também, mas algo como ‘Still Into You’ veio tão naturalmente e parecia tão certo e real. Estou muito feliz que essa é a música que podemos tocar na TV e fazer um grande negócio sobre.”

O que faz do álbum mais do que apenas outro grande lançamento do Paramore, é a vontade da banda de expandir suas barreiras musicais e criar músicas atrativas para uma audiência mais nova, ainda assim entendendo que eles precisavam de alguns elementos antigos para não alienar seus fãs antigos.

“Tem sido divertido ver novos fãs do pop começarem a gostar do Paramore, mas também tem sido maravilhoso ver os fãs que tem nos seguido por tanto tempo estarem tão animados com esse álbum e não estarem simplesmente virando as costas e dizer ‘Aw, chega.” diz Williams. “Isso é o que acontece com qualquer banda que vêm de um fundo remotamente punk-rock e então tem algum sucesso. As pessoas vão embora. Mas isso não aconteceu e eu acho que é porquê elas entenderam que gostamos de compôr todo tipo de música. Não nós estamos tentando só compôr hits para tocar no rádio.”

Para expandir ainda mais seus horizontes, o Paramore anunciou o Parahoy!, um cruzeiro para os fãs que vai sair de Miami no dia 7 de Março e velejar para o Great Stirrup Cay no Caribe até o dia 11 de Março. O cruzeiro é uma parceria com a companhia Sixthman e acontecerá a bordo do Norwegian Pearl. A viagem vai contar com shows em múltiplos palcos dentro do barco. Também haverá uma sessão de perguntas e respostas e outras atividades. Até agora, a única outra banda anunciada foiTegan and Sara, mas outros artistas serão anunciados nas próximas semanas.

“Tegan e Sara são antigas amigas nossas,” disse Williams. “Nós fizemos a turnê Honda Civic com elas em 2010 e foi incrível. Foi uma ótima mistura. Nossa música é bem diferente, mas nós não queríamos um monte de bandas que soassem do mesmo jeito. Seria chato.”

 Já que o Paramore não tinha shows marcados para 2014 ainda, o agente responsável pelo calendário da banda sugeriu que eles fizessem o pacote do cruzeiro, que vai permitir um maior acesso dos fãs à banda, do que um show normal permitiria. Os ingressos para o evento começam no preço de $650,00 por pessoa.

“É engraçado por que quando nosso agente disse, ‘Vocês nunca fizeram um cruzeiro. Vocês gostariam de fazer um?’ Eu estava ‘Yeah, claro. Ninguém vai esperar por isso. As pessoas vão achar que estamos malucos,”‘ contou Williams. “E desde que anunciamos, recebemos muitos comentários positivos. Eu mal posso esperar para ver como isso vai ser.”

Enquanto ela está animada para o Parahoy!, Williams admite que ela está nervosa sobre ficar em mar aberto por quatro dias. “Cruzeiros me assustam um pouco,” ela disse. “Mas se eu tiver que afundar em um navio, eu pelo menos irei com meus amigos e um monte de pessoas que amam o Paramore.”

Tradução: Lory Cortês