06
abr
“Muitas pessoas achavam que íamos estar limitados musicalmente” diz Paramore ao TMN

TMN

Em entrevista ao The Music Network o Paramore na passagem da banda pela Austrália, no mês passado, e eles conversaram sobre o novo album, as música e a saida dos Farro. Veja a tradução:

Forçados a reduzir de número em dezembro de 2010 após a saida dos irmãos Zac e Josh Farro, o Paramore emergiu após dois anos sem descanso, de experimento e mais motivados do que nunca. A vocalista Hayley Williams, o baixista Jeremy Davis e o guitarrista Taylor York estão na Austrália para o primeiro show desde -como Williams chama- “a novela do Paramore”.

“Tem sido surreal” diz York, sentado em um sofá de hotel perto de Williams e Davis. “Tudo devia estar dando errado agora, mas não esta”

York distingue a preocupação entre os fãs e a midia. Depois da saída dos irmãos Farro, circulavam rumores questionáveis sobre as habilidades de escritora de Hayley Williams, com seu ex-namorado Josh tomando o comando- sem mencionar que nenhum dos 3 que haviam restado sabiam se virar na bateria. Mas após muita procura, Ilan Rubin (Lostprophets, Nine Inch Nails, Angels & Airwaves) agora grava e sai em turnê com o Paramore, a banda esta tendo novas influências, injetando um novo fervor não só em sua música, mas como em seus shows.

Todos os olhos tem estado sobre Williams desde o ataque dos Farro: em uma alegação publicada em seu blog em 2010, os irmãos disseram que ela foi a única a assinar contrato com a Atlantic Records, a distribuidora da Fueled By Ramen. Eles sugeriram que a ascensão do Paramore foi meticulosamente planejada, e que só os incluía porque a gravadora aprovava as músicas que escreviam. Quando perguntados sobre Josh e Zac, Williams abaixa sua cabeça, mexe em suas unhas, e olha para Taylor- um modo compreensível de abordar o assunto.

“Todo mundo viu como foi” diz Taylor em desdenho. “Não houve nenhuma comunicação direta entre as duas partes, então fico exposto para todos verem”

Mas com o lançamento de seu quarto album auto-intitulado no mês que vem, o trio espera mudar a percepção publica. Deixando para trás o estilo emo muito maligno por um tipo de pop/rock sofisticado que é bem servido de queixas e brilho. Paramore esta exigindo respostas assim como em seu album de estréia em 2005 (All We Know Ia Falling). No entanto, Williams não tem mais 16 anos- o novo Paramore é claro em relação as suas exigências e como querem ser ouvidos. No single Now que já esta nas rádios, Williams canta “There’s a time and a place to die / But this ain’t it.”. Eles podem estar entrando no gênero alguns anos atrasados, mas o peso da pressão sobre os pequenos ombros de Williams custou o ressurgimento da banda com suspense.

“Encontramos muita liberdade porque muitas pessoas achavam que íamos estar limitados” diz Williams. “Isso nos empurrou a achar novas maneiras de fazer as coisas e o que achamos foi verdadeiramente libertador”

“Sentimos como se estivéssemos experimentando pela primeira vez como uma banda deve ser” adiciona York. ” Ir aos lugares e se divertir, gostar de passar o tempo um com o outro,e não como se tudo fosse sempre uma luta, um compromisso.”

Justin Meldal-Johnsen, que produziu o album, comandou a transição do Paramore, com sua experiência como guitarrista para o Beck e turnês com Nine Inch Nails. “Havia inteligência no-” ela para para rir de si mesma antes de continuar: ” Havia inteligência sobre como ele aproximou certos elementos, que acho que vem de sua experiência com Beck. Então, eu penso em músicas como Fast In My Car e Part II [co-escrita com Medal-Johnsen], havia algo industrial e pesado nelas que o amor dele pelo gótico e tocar no Nine Inch Nail ajudou a nos socorrer nesses momentos”

Enquanto eles trouxeram Rubin na bateria e Medal-Johnsen para co-escrever cinco faixas, gravar Paramore foi bem menos estressante que seu antecessor,Brand New Eyes (2009). A banda entrou em estúdio em março de 2009, tendo escrito somente 4 músicas, e tinha só três semanas e meia para gravá-lo. “Estávamos escrevendo o album todo, tentando gravar enquanto viajávamos em turnê com No Doubt” diz Williams

“E tentando recuperar nossa amizade ao mesmo tempo” graceja Davis, o mesmo mais irregular do Paramore antigamente.

Esse momento, os forçou a descobrir talentos dormentes, a auto confiança do trio os levou a um album completo de influências inexploradas, com uma nova dinâmica ao redor da banda. “Eu sei que o Jeremy pode tocar muito bem baixo, mas o mundo não sabe” Williams sorri radiante. “Nós entramos no estúdio e ele era tipo [imitando a música de abertura de Seinfeld]. São coisas assim, onde estávamos constantemente surpreendendo uns aos outros.”

Enquanto os fãs estão impacientes pelas letras das músicas e notas músicas com indiretas sobre a briga, Williams diz que Josh e Zac não estão presentes. Paramore deu adeus aos irmãos, assim como o epitéteo emo que brilhava uma década atrás no porão de Taylor.

“Acho que é fácil ler uma música como ‘Fats in My Car’  e ficar tipo ‘Oh, esse é o tipo de música que deve ser sobre Josh e Zac saindo da banda’. Mas na verdade não é, é sobre a nuvem que vem seguindo nossa banda por tanto tempo” diz Williams. “Estamos prontos para deixar tudo para trás. Queremos que as pessoas nos dêem uma folga. Nos deixe viver esse momento, agora”

Via: ParamoreAndMore