07
jan
Por trás de Ain’t It Fun

paramore me

O Paramore ganhou sua quarta indicação ao Grammy de “Melhor Música de Rock” com “Ain’t it Fun”. E antes que o vencedor seja anunciado, o Radio.com decide voltar aos dias em que a banda começou a escrever o single.

Hayley Williams compos o single “Ain’t it Fun” como um aviso para que ela amadurecesse de uma vez. No final das contas, não foi apenas sobre a maturidade de Williams, mas, também, a da banda, que, com o sucesso do single foi indicada ao Grammy, como Melhor Música de Rock. Paramore concorre ao prêmio com Jack White, The Black Keys, Beck e Ryan Adams.

A indicação é uma grande realização para Williams e seus dois companheiros de banda – o baixista Jeremy Davis e o guitarrista, Taylor York – que uns anos atrás estavam inseguros quanto ao futuro da banda, devido às bruscas mudanças que a banda sofreu a partir de 2010, quando Zac e Josh Farro, membros da formação original, deixaram a banda. Josh usou a desculpa de que sua decisão foi forçada, pois o Paramore havia se tornado “um produto de uma grande gravadora”. Ele, ainda, acusou Williams de estar sendo manipulada e de que ela os tratava como “banda de apoio”, como se os demais integrantes da banda estivessem, simplesmente, “seguindo o sonho de Hayley”.

As fortes acusações deixaram Williams, Davis e York desanimados e poderiam botar tudo a perder, pois muito do processo de “seguir em frente” era emocional. Já na parte literal – a banda mudou-se de Tennessee para Los Angeles, onde trabalhariam no álbum que seria lançado, Brand New Eyes. “A ideia principal por trás do novo álbum era sobre recebermos uma chance para um recomeço,” disse Hayley, em declaração ao site Radio.com, em 2013, “para, realmente, redescobrirmos o que queríamos ser e o que éramos. A mensagem por trás de tudo era ‘Não há necessidade de desistir, mesmo as probabilidades estando contra você.’”

O álbum auto-intitulado, lançado em 2013, deu ponta-pé inicial para o recomeço. Williamscanta sobre amadurecimento, se apaixonar, não ser mais uma “crazy girl”, e incluem um pouco de soul e blues ao som punk rock da banda.

O processo de sair de sua zona de conforto não foi nada fácil. “Era a primeira vez em que eu passava muito tempo fora de casa, longe da minha família e amigos,” explicou Williams. “Quando você sai da sua bolha, você se dá conta de quão grande o mundo é e aprende a desenvolver mecanismo de autodefesa.” Mas a vocalista não desistiu e afirmou que, apesar das dificuldades, a música foi o necessário para que ela, realmente, saísse de sua zona de conforto. “Senti como se eu estivesse chutando e gritando por conta própria, como um grito de independência. É engraçado, pois eu precisava daquilo,” declarou. “Eu precisava de uma mudança de perspectiva para saber que poderia fazer muita coisa sozinha.”

Foi essa constatação que fez Williams escrever “Ain’t It Fun”, o quarto single do quarto álbum da banda. Inicialmente, dentro de um hotel em Los Angeles, Taylor começou a trabalhar em cima do single, cuja inspiração veio da banda britânica Dutch Uncles e, tempos depois, por ela foi remixado. York montou seu próprio estúdio, tendo garrafas de água como parte do equipamento. Williams se divertiu com os novos experimentos do colega de banda e explicou que estava indo encontrá-lo para jantar, mas tiveram o percurso desviado para que terminassem o single.

Em “Ain’t it Fun”, Williams canta sobre a transição da fase adolescente para a adulta em partes como “Don’t go crying to your mama/ Now you’re on your own. (Não vá chorar para a mamãe / Agora, você está por conta própria)” E até mesmo, insultando-se em tom sarcástico “Ain’t it Fun? / Living in the real world. (Não é divertido? / Viver no mundo real).” E explica um pouco mais sobre o processo de amadurecimento: “A letra da música era minha forma sarcástica de reconhecer que você não pode ser o rei de tudo o tempo todo,” disse ela. “Foi um grande exercício para mim, como ser humano – uma garota de 23 anos, naquele tempo – expandindo os horizontes e reconhecendo que a vida é muito maior que nossa perspectiva. Foi uma música muito divertida para gravar, e, também, uma forma de alertar a mim mesma sobre a realidade.”

A música, que chegou a 10ª colocação na Billboard Hot 100, também contou com a influência gospel de Hayley Williams. “Eu cresci sob influência gospel, amo gospel e nunca pensei que isso se misturaria com o som do Paramore,” disse ela. “Mas, por sorte, nesse álbum, mantivemos nossas mentes abertas a novos propósitos.” Tão abertas que, três meses depois de gravar a versão original de “Ain’t It Fun”, Paramore convidou ao estúdio um coro gospel de 6 integrantes. “Eles puseram muito soul e muito sentimento no que estavam fazendo, que tornou tudo tão real e natural. Eu chorei umas três vezes, apenas ouvindo o pessoal cantando nossa música. Foi muito legal.”

Fonte: ParamoreBR